10 dicas para descobrir se seu computador está infectado – Parte 2

Continuando nossa odisseia para diagnosticar se o computador foi contemplado com algumas das milhares de pragas ativas no momento. Vamos agora ver outros cinco procedimentos para a detecção.    Virus-1

Dica 6 – Janelas aparecem do nada
Se estiver com seu computador ligado e sem mais nem menos abre alguma tela (algum site ou propaganda), ou ainda ao iniciar o computador aparece alguma tela preta e some rapidamente ou ele exibe mensagens do tipo Não foi possível iniciar o programa XYZ, então as probabilidades são grandes de estar com um amigo virtual indesejado no seu micro. Utilize algum programa anti spyware como, por exemplo, o Spybot.

Dica 7 – Novos botões em meu internet explorer
Se “de repente” seu navegador começou a aparecer novos botões que quase sempre são links para sites em inglês então você pode ter algum tipo de spy, seja para espionar perfil de navegação a até casos extremos de senhas. Estas barras na verdade não aparecem do nada; na verdade são softwares embarcados em outros que foram instalados anteriormente. Por exemplo, quando o instalamos o Flash Player pelo site da Adobe, se não prestarmos atenção, ele sugere instalar a barra do Google, não que ela seja um spy, mas é um exemplo de “venda casada”. Para removê-las, clique com o botão direito sobre área desta barra e desative a barra em questão.

Dica 8 – Muitos processos em execução
O que são processos? Na verdade são programas ou pequenas bibliotecas que ficam em execução quase sempre ocultas enquanto o micro funciona. E na verdade é assim mesmo. Supondo que você esteja com seu micro ligado e não fez absolutamente nada, ele está parado na tela inicial, só isto já faz com que o micro tenha entre 35 a 45 processos em execução. Sejam eles antívirus, controles do windows para rede, rede sem fio, enfim um monte de “programinhas” que controlam os principais recursos da máquina. Como eu havia dito, um micro recém ligado e sem nenhum programa aberto tem de ter a média de 40 processos; valores muito acima deste podem indicar vírus e espiões em trabalho. Para ver quais processos seu micro tem no momento, aperte simultaneamente Shift + Control + Esc, irá aparecer uma tela com algumas abas e uma delas é de serviços; no final da tela exibe quantos estão em execução no momento. Você pode ver um por um e desativar. Mas cuidado: ao desativar recursos vitais do Windows ele pode começar a travar ou até mesmo reiniciar sozinho. Se fizer tal proeza, basta reiniciar o micro que os serviços serão restaurados. Alguns destes recursos podem e até devem ser desativados, pois ajudam no desempenho da máquina. Vá no menu iniciar e procure a opção executar dentro da caixa que vai aparecer, digite “msconfig” sem as aspas e clique em ok. Aparecerá uma tela com diversas abas, entre elas Serviços e Inicialização de Programas. Lá dentro você pode desativar o que achar ser inútil.

(Atenção: só faça isto se souber o que está fazendo e com a plena consciência de que tudo que fizer pode e será usado contra você no iniciar da máquina. Esta dica aplica-se a Windows XP, Vista e 7; se sua versão do Windows for anterior então é provável que nem os vírus funcionem).

Dica 9 – Restauração do sistema
A restauração do sistema é um recurso implantado a partir do Windows XP, mas é uma faca de dois gumes, pois os vírus, quando são desativados, ou o antivírus, tenta fazer a varredura para eliminá-los, eles se escondem na área onde fica a restauração e estes softwares de segurança não têm permissão para acessar esta área, resultando em um falso positivo para integridade do seu sistema. Sugiro que se desative a restauração do sistema antes de fazer uso de softwares de segurança como varreduras por espiões e vírus.

Dica 10 – Pendrives, o novo disquete
Os primeiros vírus eram espalhados via disquete; era ele o hospedeiro intermediário das pragas; agora os pendrives e afins assumiram um papel secundário na proliferação dos vírus, a internet continua líder. Cartões de memória, memória interna de câmeras, filmadoras etc., tudo é passível de transmitir pragas. Portanto, tenha cuidado redobrado antes de sair “espetando” coisas na sua USB. Existem alguns programas gratuitos, em geral em inglês, que podem ajudar. Primeiro você executa tal programa, ele faz um preparatório para receber a conexão USB e então ele autoriza você a plugar o suspeito e garante que nada vai executar automaticamente e te premiar com pragas.

Um pendrive limpo não quer dizer que estará limpo para sempre, pois se você plugá-lo em um micro infectado, ualá, ele agora é hospedeiro. Não desconfie apenas de pendrives de terceiros, desconfie do seu se ele passou por micros de terceiros.

Fonte: Revista ZN – Ed. 108 – Outubro 2010

2 Comentários

  1. jacimar Disse:

    muito legal as dicas pena que perdi as 5 primeiras…

  2. Leticia Gênova Disse:

    Oi Jacimar.
    Não tem problema não, segue o link com as cinco primeiras dicas http://blog.mastop.com.br/2011/08/11/10-dicas-para-descobrir-se-seu-computador-esta-infectado-%E2%80%93-parte-1/

Deixe um comentário!

Atenção: Os comentários são moderados antes da publicação, o que fará com que seu comentário não seja exibido na hora. Não há a necessidade de reenviar seu comentário.